Aprendendo sobre Orçamento doméstico a luz da Bíblia

orcamento_domestico

Texto: “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?” Lc 14:28


Introdução:

Estamos diante de um cenário onde mais de 60 milhões de brasileiros estão endividados, isso representa cerca de mais de 20 milhões de famílias. E esse cenário também tem abrangido as famílias cristãs. Esse fato tem ocorrido dentre os mais diversos motivos, como aumento no índice de desemprego, desaceleração da economia como também e na sua maior amplitude por falta de conhecimento e consequentemente um comportamento inadequado em relação as finanças pessoais e domesticas. O que podemos nos tranquilizar é que a palavra de Deus, a “Bíblia” tem solução para esse e todos os desafios da vida humana.

1- Entendendo sobre dinheiro:

Primeiramente precisamos entender o que realmente são os recursos financeiros. São recursos que Deus nos dá para administrar, que nos confiou para suprir as necessidades humanas, para nos servir, para cultivarmos e dominarmos. E pelo contrário do que tem ocorrido, não para que nos domine, que direcione os nossos valores, crenças e comportamentos. Veja como Deus estabeleceu a relação do homem com as coisas “Dinheiro”. Gn 1:28 – 30

2- Mordomia:

O primeiro passo para que possamos avançar nas finanças, é entender, internalizar o conceito que nós administramos TUDO aquilo que não é nosso. E como bons mordomos devemos fazer com zelo, e com honra a quem nos confiou. Deus é o criador de todas as coisas. Ele criou, nosso corpo, mente e espírito. Também criou nossa capacidade de produção, e todos os recursos da terra. E todos esses bens nós prestaremos conta de que forma administramos esses recursos. Mt 25: 14-29

3- Aprendendo a orçar:

Aprenderemos um primeiro princípio da administração financeira que é um fundamento para se prosperar financeiramente, “orçamento”, e a Bíblia nos orienta a fazê-lo (Lc 14:28-30). Este é parte de um plano financeiro estratégico que compreende a previsão de receitas e despesas futuras. O “orçamento doméstico”, é o registro de previsão dos recursos necessários para suprir as necessidades da família de forma equilibrada e saudável, obedecendo a critérios onde os recursos sejam satisfatórios. É importante para o bom mordomo, administrar de forma que os recursos atendam às necessidades, mas que também se multipliquem (Mt 25: 27). É comum vermos pessoas com dificuldades de poupar (não faz parte da nossa cultura) como também baixo conhecimento em fazer os recursos multiplicarem. E um dos fatores básicos é porque muitas decisões financeiras são tomadas sem a avaliação se aquele compromisso pode ser honrado. Inclusive o crente acaba caindo nesta cilada e abrindo brechas espirituais para outros problemas porque quebrou o princípio de honrar com a palavra empenhada, não cumprindo com as obrigações (Sl 15:4). E a pior das situações descumprindo o princípio de honrar com o Senhor que é o dono dos bens.

4- Chaves de sucesso

Não se preocupe, e não se culpe se até aqui a sua administração dos recursos que o Senhor lhe deu não vai bem. Arrependa-se, corrija e alinhe-se com a “Palavra” que Deus lhe dará a sabedoria vinda do alto que Ele dá liberalmente para você administrar bem. Segue chaves Bíblicas de sucesso. (Tg 1:5)

 Cuidado com as compras sem pensar: O atual modelo de consumismo que nossa sociedade vive, tem como premissa básica o estímulo ao consumo. Então pense antes de tomar as decisões, revise seu orçamento, sente para conversar em família antes de assumir novos compromissos. Pv 19:2

 Crie um orçamento doméstico em família: O ato de fazer um orçamento deve atender as necessidades de toda a família. Se os recursos são escassos, deve-se trabalhar uma boa distribuição das despesas e também uma estratégia para o crescimento das receitas. Deus deseja que seus filhos sejam supridos em tudo.

 Aprenda a separar necessidades de desejos: Não há nenhum mal em termos desejos, Deus é nosso pai e quer nos suprir (Lc 11:13; Sl 37:4). No entanto, devemos ser sábios e separarmos o que é necessário para determinado momento do que é desejo. Pois no tempo certo nosso Pai atenderá nossos desejos. É comum vermos pessoas se endividando porque assumiram compromissos de financiamento pagando altas taxas de juros para atender a desejos e não necessidades.

 Multiplique o que Deus lhe confiou: Há muitos princípios que se seguidos Deus lhe garante a multiplicação, vou me limitar aos 3 que considero os mais relevantes:

O Semear em seu Reino (Pv 3:9-10)11:24.25); que é uma atitude de fé e confiança em Deus, e o reconhecimento de que Ele é o dono de tudo.
O Praticar a generosidade (Pv 11:24,25). Que é a atitude que evidencia a prática do amor ao próximo.
O Investir em sabedoria, aplicar recursos no desenvolvimento de seus talentos essenciais. (Pv 4: 5,7)

CONCLUSÃO

Amado irmão em Cristo, somos mordomos de nosso Deus, temos um chamado para glorificar o seu nome através de nossas finanças. Deus tem prosperidade para seus filhos… SEJA SÁBIO E ADMINISTRE BEM O QUE DEUS LHE CONFIOU.

PRÓXIMOS ESTUDOS:

Aprenderemos sobre “Como sair das dívidas” e “Introdução à investimentos”

 

Cadastre-se gratuitamente e receba avisos quando os próximos Estudos forem publicados!!!

assine-newsletter